Notícias

27 | maio | 2020

Fiscalização visa inibir uso de cerol em Pitangueiras e Ibitiúva

27/05/2020

A Polícia Municipal e a Polícia Militar vão iniciar nesta quarta-feira, 27 de maio, uma fiscalização para inibir o uso de cerol e linha chilena na prática de soltura de pipas em Pitangueiras e Ibitiúva. Durante o trabalho, os agentes vão orientar quem estiver soltando pipa e apreender materiais com linha cortante que forem encontrados.

De acordo com o secretário municipal de Segurança, Trânsito e defesa Civil, Sandro Moreti Lima, o objetivo da fiscalização é orientar a população sobre os riscos desse tipo de material e coibir o uso dele. “A ideia é mostrar os riscos da linha cortante, que pode até matar. Nesse primeiro momento, que é mais educativo, não haverá punições, mas vamos apreender os materiais irregulares que forem encontrados”, destaca.

O secretário explica que os policiais vão fiscalizar os principais pontos em que as pessoas costumam soltar pipas, principalmente nos períodos da manhã e fim de tarde. “O cerol é um risco para todos. Isso inclui até mesmo quem manuseia ele, podendo sofrer ferimentos graves”, revela.

Lima reitera que uma lei municipal para coibir o uso de cerol em Pitangueiras e Ibitiúva já está sendo providenciada, com a finalidade de fechar o cerco contra essa infração que já é prevista em lei no Estado.

O uso do cerol em linhas de pipas, a conhecida mistura entre cola e vidro, passou a ser proibida no Estado de São Paulo por meio da Lei 17.201. A legislação proíbe o uso, a posse, a fabricação e a comercialização de linhas cortantes compostas de vidro moído ou qualquer produto ou substância de efeito cortante, independentemente da aplicação ou não destes produtos nos fios ou linhas, conhecido como linha chilena/linha indonésia, utilizadas para soltar pipas.

O descumprimento desta lei acarreta ao infrator, quando pessoa física, o pagamento de multa no valor de 50 Unidades Fiscais do Estado de São Paulo – UFESPs. Na cotação de hoje, com a UFESP a R$ 27,61, o valor da multa seria de R$ 1.380. O estabelecimento que for flagrado comercializando linha cortante será autuado em 5 mil UFESPs, um total de R$ 138 mil.

A linha cortante em pipas se transforma em arma letal, vitimizando principalmente pedestres, ciclistas e motociclistas, devido ao alto nível de corte . Segundo dados colhidos pela Associação Brasileira de Motociclistas (Abram), no Brasil são mais de 500 acidentes por ano provocados pelo cerol, sendo que 50% causam ferimentos graves e 25% fatais.

 

 

Confira mais notícias da nossa cidade

4 | junho | 2020

Prefeitura inicia testes de vazão no maior poço profundo do município

3 | junho | 2020

Iniciada a fundação do Ginásio de Esportes de Ibitiúva

1 | junho | 2020

Comércio passa a funcionar com novas regras a partir de 01 de junho

Todas as Notícias

Confira mais notícias da nossa cidade

25 | junho | 2020

Blitz da saúde afere temperatura e faz orientações sobre o coronavírus

17 | junho | 2020

Ciclistas também devem seguir regras para garantir a segurança no trânsito

10 | junho | 2020

Feriado de Corpus Christi altera expediente na Prefeitura

4 | junho | 2020

Prefeitura inicia testes de vazão no maior poço profundo do município

3 | junho | 2020

Iniciada a fundação do Ginásio de Esportes de Ibitiúva

1 | junho | 2020

Comércio passa a funcionar com novas regras a partir de 01 de junho

Clique aqui e veja todas as notícias